Principais tipos de financiamento habitacional

Publicidade

A casa própria é o grande sonho do brasileiro. Mas quase ninguém consegue juntar a quantia necessária para comprar uma casa à vista. Para encurtar essa distância do sonho para a realidade do brasileiro, o financiamento habitacional, de diversos tipos e categorias, visa atender as mais variadas condições. E é sobre eles que vamos falar hoje.

Conheça os principais financiamentos habitacionais

Com certeza, o financiamento habitacional mais falado e conhecido atualmente é o Minha Casa Minha Vida, mas existem outros tipos, como o Sistema Financeiro de Habitação (SFH) que é o modelo mais antigo, o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) e o FGTS Pró Cotista, atualmente inativo.

Minha Casa Minha Vida

Programa do governo federal para ajudar as famílias a comprar sua primeira casa própria. Pode ser feito tanto na Caixa Econômica Federal, quanto no Banco do Brasil. Permite o uso do FGTS de todos que moram na casa e unir seus salários para se atingir a faixa de renda, que não pode ser maior que 9 mil reais.

Além disso, o governo ainda dá subsídio, que é um desconto no valor do financiamento, que junto com a taxa de juros, varia de acordo com o total de salários, sempre visando ajudar a quem mais precisa.

Mesmo que você não tenha carteira assinada, ou um emprego formal, mas possa comprovar sua renda, é possível participar desse programa tranquilamente. O valor limite para financiamento varia de cidade para cidade de acordo com o número de habitantes.

Sistema Financeiro Imobiliário (SFI)

Baseado em uma Lei de 1997, ele permite parcelar em até 35 anos, ou 10 anos se for um imóvel comercial. O imóvel ficará alienado e não poderá utilizar o FGTS para a compra. A taxa de juros não é regulamentada pelo sistema e o contrato gerado se torna uma escritura pública.

Sistema Financeiro de Habitação (SFH)

Criado por uma lei de 1964, permite financiar imóveis de até 650 mil reais, alguns estados ampliam esse limite para 750 mil. Aceita financiar até 80% do imóvel e as parcelas não podem ser maiores do que 30% da sua renda. O FGTS pode ser usado para a compra, devendo ser um imóvel residencial para poder usar a linha SFH na compra.

FGTS pró-cotista

Quem quer financiar por esse sistema deve ter contribuído ao FGTS por mais de 36 meses, que não precisam ser em sequência. O valor total que está acumulado no seu FGTS deve ser maior do que 10% do valor do imóvel.

Pode-se financiar até 90% do imóvel e não há limite de renda para entrar nesse tipo de financiamento habitacional. Exclui quem já tem um imóvel na cidade onde mora ou trabalha.

Sistemas de amortização de parcelas

Dentro dos tipos de financiamentos habitacionais, há a escolha dos tipos de amortização das parcelas, que são basicamente o sistema SAC, e o sistema PRICE.

O sistema SAC

As prestações começam em valores maiores, mas vão diminuindo com o passar do tempo. A prestação nunca irá aumentar, o que é bom, e com o passar dos anos ela vai ficando cada vez menor.

O sistema de amortização PRICE

Se escolher o sistema PRICE, o valor das prestações não muda, do início ao fim do financiamento. Isso faz com que as primeiras parcelas sejam bem menores do que no sistema SAC, o que ajuda se você não quer começar com prestações muito altas.

Há muitas formas de se conseguir o financiamento habitacional, muitas opções e certamente uma será ótima pra você hoje e no seu futuro. Escolha seu imóvel, veja como ficam as parcelas do plano escolhido para que não haja sustos e seja feliz na sua casa própria.

Tipos de Financiamento Habitacional
Leia e depois avalie!

Matéria Relacionada:

Veja:  Documentos necessários para financiamento do Minha Casa Minha Vida

Pin It on Pinterest

Shares
Compartilhe...