Realizar o Cadastro Minha Casa Minha Vida é a opção de financiar um imóvel com condições mais flexíveis. Entenda como participar do programa e quais critérios de contratação a seguir.

Tipos de Financiamento Imobiliário

Cadastro Minha Casa Minha Vida

Milhões de brasileiros vivem de aluguel, sendo uma das despesas mais pesadas no orçamento familiar. Desse modo, a oportunidade de comprar uma casa ou apartamento é a mais procurada. A participação do estado, por meio de programas habitacionais, é fundamental pois permiti tal acesso, sobretudo, às famílias mais carentes. Então, nos anos 2000 surgiu o projeto Minha Casa Minha Vida, que dentre seus principais objetivos estão a redução do déficit habitacional e o estímulo no setor da construção civil. Contudo, desde agosto de 2020, suas diretrizes estão integradas ao Casa Verde Amarela (atual programa de habitação brasileiro).

Publicidade

cadastro minha casa minha vida

Minha Casa Minha Vida

Instituído em 2009, este programa criado pelo Governo Federal, tem objetivo de subsidiar parte da entrada de um financiamento imobiliário. Os interessados fazem um cadastro, que terá avaliação de uma instituição bancária (Caixa Econômica Federal na maioria dos casos) e após aprovação, o cidadão recebe a carta de crédito ao comprar o imóvel. O destaque fica para seus principais benefícios:

  • As condições de pagamento se alinham com a renda familiar;
  • É permitido a utilização do saldo do FGTS (como entrada);
  • Serve para financiar imóveis, mas também para construir ou reformar;
  • A contração é feita de maneira segura, e um contrato apresenta todas as cláusulas;
  • É possível incluir seguros na prestação do financiamento.

Decerto, uma avaliação básica é feita ao confirmar o Cadastro Minha Casa Minha Vida, pois vai desde a verificação de crédito até entrega de documentos. Confira a seguir como se inscrever no projeto.

Como fazer o cadastro Minha Casa Minha Vida?

Primeiramente, ao fazer a inscrição no programa é necessário se encaixar nos seguintes critérios:

Publicidade

  • Não possuir imóvel próprio;
  • Não participar de outro projeto habitacional;
  • Não ter débitos com a União;
  • O imóvel não pode ser comercial.

Pessoas com renda inferior aos R$ 1,8 mil têm a possibilidade de se inscrever diretamente nas prefeituras. A parceria com estados e municípios é outro diferencial do Minha Casa Minha Vida. Os passos seguintes do cadastro são:

  1. Escolha do imóvel – O ideal é que a casa ou apartamento esteja inscrito dentre os empreendimentos participantes do programa. Senão, é essencial que seja legalizado, e em boas condições;
  2. Simulação – É possível simular o valor e prazo que serão disponibilizados com o cadastro aprovado. Essa previsão pode ser realizada no site da Caixa, ou numa de suas agências, por exemplo;
  3. Entrega de documentos – Documentação básica, comprovantes de rendas, certidões negativas de débitos, são alguns itens solicitados nesta etapa. Também se apresenta documentos do vendedor e do imóvel, além do cônjuge e demais pessoas envolvidas;
  4. Validação e assinatura do contrato – Fase final na qual firma o compromisso do pagamento, dentro do prazo estipulado pela instituição financeira.

Modalidades

O Cadastro Minha Casa Minha Vida é apresentado de duas formas:

Urbana

Destina-se a famílias das áreas urbanas. Atende a renda familiar mensal de R$ 1,8 a R$ 7 mil. A taxa menor de juros é a maior vantagem desta modalidade, sobretudo, quando comparada aos ofertados pelo mercado imobiliário nas grandes cidades brasileiras.

Rural

Disponível aos grupos familiares com renda anual de até R$ 78 mil e permite agricultores construírem suas casas ou ampliarem os espaços de suas propriedades, aumentando sua produção, por exemplo. Em ambos, todo processo de legalização fundiária é obrigatório, ou seja, escrituras e outros instrumentos são necessários ao fechar o financiamento.

Publicidade

Cadastro Minha Casa Minha Vida aprovado, o que fazer em seguida?

Conforme mencionado, a aprovação do requerimento é firmada num contrato, assinado na Caixa Econômica Federal. Nesse dia, é preciso apresentar outros documentos: Carteira de Trabalho, atual comprovante de residência, ficha cadastral, extrato do FGTS e o protocolo de participação do programa habitacional. O contrato é elaborado e o futuro mutuário assina. O dinheiro é transferido a conta do vendedor, permitindo já começar a mudança para nova casa, assim, funciona o Cadastro Minha Casa Minha Vida. Procure em sua cidade empreendimentos inscritos no programa, e inicie o processo de compra do seu imóvel.

Publicidade

Saiba tudo sobre o programa Casa Verde e Amarela