Comprar um imóvel nunca foi uma tarefa fácil. Sem dúvida, é necessário pesquisar, consultar a renda e ter certeza de que a parcela realmente cabe no bolso. Por esses e outros motivos, cada vez mais pessoas optam pelo Programa Minha Casa Minha Vida. O Programa é atrelado à Secretaria Nacional de Habitação do Ministério das Cidades e foi lançado pelo Governo Federal em março de 2009.

O MCMV ficou conhecido por facilitar e oferecer planos atrativos para o financiamento de imóveis, já que se adéquam à renda de famílias de classe baixa e média.

Além de beneficiar famílias que procuram por uma moradia de qualidade, o Programa incentivou e gerou, significativamente, vagas de emprego na indústria de construção civil, aumentando a renda de milhares de outras famílias.

Confira os benefícios oferecidos pelo programa Minha Casa Minha Vida, que atende milhões de brasileiros

Por isso, se você procura por um lar para chamar de seu, confira todas as informações e etapas necessárias para o cadastramento do Minha Casa Minha Vida:

Publicidade

Como realizar o cadastro Minha Casa Minha Vida

O primeiro passo para conseguir o financiamento da tão sonhada casa própria é o cadastro. Ele deverá ser realizado no local indicado por cada município. No Estado de São Paulo, por exemplo, a inscrição pode ser realizada no site da Cohab (Companhia de Habitação de São Paulo).

Os órgãos responsáveis por oferecer o valor de crédito para o financiamento, atualmente, são o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Vale lembrar que, para conseguir o valor solicitado, é necessário atender aos requisitos exigidos pelos agentes bancários.

programa minha casa minha vida
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
existem algumas etapas que deverão ser realizadas pelo interessado antes de começar o pagamento do imóvel. Confira abaixo cada uma delas:

Etapas do Minha Casa Minha Vida
Cadastro
Análise
Seleção
Aprovação

Quem pode se inscrever

Tem direito a participar do Programa Minha Casa Minha Vida, o cidadão que for maior de 18 anos ou que seja emancipado e que não possua casa própria. No entanto, famílias com renda mensal bruta de até R$ 1.800,00 e que vivem em área de risco, tem preferência no cadastro e são selecionadas pela prefeitura do município onde vive.

As famílias escolhidas são comunicadas para comparecer ao sorteio e, sucessivamente, para a data de assinatura para assumir o imóvel. Famílias com renda bruta mensal entre R$ 1.800,00 e R$ 6.500,00 devem comparecer na Caixa Econômica Federal ou no Banco do Brasil.

Quais as faixas e valores financiados

Atualmente, existem quatro faixas de financiamento do Minha Casa Minha Vida, são elas: faixa 1, faixa 1,5, faixa 2 e 3. Cada uma das faixas delimita o valor do imóvel concedido. Veja as características de cada uma delas e analise em qual faixa você se encaixa:

Faixa 1
Essa faixa é destinada àquelas famílias que possuem renda mensal bruta de até R$ 1.800,00. Desse modo, o valor máximo concedido para o financiamento do imóvel pode chegar até R$ 96.000,00. Não é necessário comprovação de renda e, além do mais, para quem corresponde a esses requisitos, não é necessário estar com o nome limpo.
Faixa 1,5
Fazem parte dessa faixa as famílias que possuem renda mensal bruta de até R$ 2.350,00. Não precisa comprovar renda e o nome pode estar sujo. Em contrapartida, diferente da faixa 1, o valor máximo do imóvel pode chegar a R$ 135.000,00.
Faixa 2 e 3
É necessário ter renda mensal bruta entre R$ 3.600,00 e R$ 6.500,00. O valor máximo do imóvel financiado pode chegar a R$ 225.000,00. Algumas características dessas duas faixas, além das citadas acima, se diferem das demais, como a comprovação de renda e a consulta ao Serasa e instituições de crédito, que passam a ser obrigatórias.

Para as famílias que fazem parte das duas últimas faixas, e desejam solicitar o financiamento, precisam saber que o valor do subsídio não é tão alto.

No entanto, não é necessário esperar pelo sorteio, é só comparecer a uma agência da Caixa ou do Banco do Brasil e ficar por dentro das condições propostas.

Quais documentos preciso ter em mãos na hora da inscrição

Essa é uma das partes mais importantes para ter acesso, sem nenhum atraso, à sua nova residência. Portanto, acompanhe uma lista com todos os documentos necessários na hora de adquirir o seu imóvel:

  • RG;
  • CPF;
  • FGTS;
  • Cópia da Carteira de Trabalho.
  • Comprovante de renda dos últimos 6 meses;
  • Declaração do imposto de renda;
  • Certidão de casamento (caso houver).

Todavia, para os trabalhadores autônomos, é imprescindível apresentar extrato bancário dos últimos 6 meses na hora da inscrição.

Posso usar o FGTS para ajudar no financiamento do Minha Casa Minha Vida?

A resposta é SIM! O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é liberado para auxiliar o financiamento do imóvel. Tanto para quitar o saldo devedor, quanto para o pagamento de parte das parcelas. No entanto, existem alguns adendos que devem ser observados pelo interessado:

  • Ter no mínimo três anos de contribuição ao FGTS;
  • Não possuir outros financiamentos no nome;
  • Não ter imóvel na cidade onde pretende solicitar o benefício.

Seguindo essas normas, o uso do FGTS pode servir de grande ajuda na hora de financiar o imóvel pelo Programa Minha Casa Minha Vida.

Como funciona o Simulador Habitacional

Esse mecanismo que tem como finalidade ajudar o proponente que deseja adquirir um imóvel pelo Programa Minha Casa Minha Vida. Assim, a partir de algumas informações inseridas, como renda familiar e idade, fica possível saber como seriam as prestações e o financiamento para o seu perfil, no MCMV.

Tipos de imóveis que são oferecidos pelo Programa Minha Casa Minha Vida

O programa tem como objetivo fornecer financiamento para imóveis populares, a fim de proporcionar prestações acessíveis, não só para quem vive em área urbana, como também, para zona rural. Confira abaixo todos os tipos de imóveis que podem ser beneficiados pelo MCMV:

Área Urbana

Em suma, para a família que vive em área urbana e se encaixa na faixa 1 do Minha Casa Minha Vida, com renda mensal bruta de até R$ 1.800,00, a Caixa Econômica Federal oferece:

  • Financiamento em até 120 meses (10 anos);
  • Mensalidade que comprometa até 5% da renda familiar bruta;
  • O valor mínimo por parcela é de R$ 25,00.

Entretanto, para a família que possui renda mensal bruta até R$ 6.500,00, as condições oferecidas pela Caixa são um pouco diferentes:

  • Juros entre 5,5 % e 8%;
  • Financiamento em até 360 meses (30 anos);
  • Prestação que corresponda até 30% da renda mensal.

Zona Rural

Também tem direito ao benefício do Programa Minha Casa Minha Vida, por meio do PNHR (Programa Nacional de Habitação Rural), agricultores que queiram melhorar a qualidade de vida no campo. Dessa maneira, o beneficiário pode usar o valor cedido para adquirir um novo imóvel ou reformar o imóvel que já possui.

Quem é considerado agricultor?

  • Pescadores;
  • Maricultores;
  • Piscicultores;
  • Povos indígenas e comunidades quilombolas;

Cabe destacar que o programa é destinado para famílias que possuem renda anual bruta entre R$ 15.000,00 e R$ 60.000,00. Além disso, o PNHR possui três faixas, que são parecidas com as faixas do Minha Casa Minha vida.

O que é o Feirão da Casa Própria e como funciona

Oferecido pela Caixa Econômica Federal em parceria com o Governo, o Feirão da Casa Própria acontece em diversas cidades do país e tem como foco, primordialmente, apresentar opções de imóveis para quem tem interesse em adquirir a tão sonhada casa própria. Durante a feira, é possível financiar até 100% do imóvel.

O evento se tornou um dos principais atrativos para quem deseja financiar a casa própria, não apenas pelo sistema de habitação do Programa Minha Casa Minha Vida, como também, pelo Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

 

No local onde acontece o evento, cedido pela Caixa, é possível encontrar, por certo, construtoras, agentes de imóveis, compradores, além de técnicos da Caixa, responsáveis por analisar e liberar os financiamentos imobiliários.

O Feirão da Casa Própria funciona da seguinte forma: o comprador precisa comparecer no dia do evento com os documentos e comprovante de renda em mãos. Assim, no local, o consultor da Caixa fará a análise de crédito, para definir o perfil do comprador. Na hora, é possível escolher o imóvel, taxas, a forma de pagamento, mensalidades. Também poderá ser escolhido o estágio da residência, se vai ser imóvel novo, na planta ou em construção. Se tudo estiver de acordo com a preferência do comprador, o contrato poderá ser assinado na hora.

Veja 5 motivos para comparecer ao Feirão da Caixa

  • Facilidade de financiamento da casa própria;
  • Imóveis verificados por consultores da Caixa;
  • Agentes especializados para verificar as melhores condições que combinam com o seu perfil;
  • Oportunidade de usar o FGTS para amortização de parte do imóvel;
  • Presença das maiores construtoras do país.

Quando é a hora certa para largar o aluguel

Todo mundo sabe que pagar aluguel é algo extremamente chato. Ainda mais que, o valor da mensalidade aumenta a cada ano, e é preciso ter jogo de cintura para lidar com as contas, além da própria parcela do aluguel que, na maioria dos casos, consome uma boa parte do salário alheio. E o pior de tudo, o imóvel não é seu!

programa minha casa minha vida
  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter

Mas para você que está perdido, achando que vai pagar aluguel durante a vida toda, aqui vão algumas dicas que servem como um possível empurrãozinho para você:

  • Economize

Um dos primeiros passos para conseguir o tão sonhado lar, doce lar, e talvez o mais importante seja a economia.

Sem economizar, você não vai chegar a lugar algum. Normalmente, na hora de fazer o financiamento é comum que peçam, pelo menos, 30% do valor do imóvel. Então, quando digo economizar, é para economizar mesmo, e isso vai desde aquele lanchinho da tia da faculdade até o uber depois da balada. Aliás, corte a balada também.

Alguns sacrifícios podem ser necessários no momento de procurar um financiamento. Com as condições favoráveis do Minha Casa Minha Vida, é possível alcançar esse desejo com cortes pontuais.

  • Planeje

Faça planos. A aquisição da casa própria é o sonho de qualquer brasileiro, portanto, planejar nunca é demais. A mensalidade de um imóvel pode comprometer uma boa parte da renda de uma família durante anos. Pesquise antes de assinar o contrato, faça a soma de suas dívidas e veja se aquilo vai compensar. Afinal, você não vai querer meter os pés pelas mãos, não é?

Normalmente, o investimento no Minha Casa Minha Vida é totalmente favorável e gera uma relação de custo x benefício ótima. Em pouco tempo, portanto, é possível inverter a balança e ter economia em relação ao período de aluguel.

O aluguel é um investimento com pouco retorno, principalmente para pessoas de baixo poder aquisitivos. Ter a casa própria é uma forma de, a longo prazo, conseguir economizar e realizar outros sonhos paralelos.

Publicidade


  • Sonhe

Sonhar é, sobretudo, um passo importantíssimo e pode dar vida a todos os seus planos. Desse modo, comece escolhendo o bairro onde quer morar, os tipos de móveis que terão no interior do seu lar, a quantidade de quartos, banheiros e etc. Quanto mais detalhes, melhor. Isso fará com que você se empolgue com a ideia de ter algo, de fato, se sinta em casa.

Veja também, sobre a ampliação do Programa Minha Casa Minha Vida.

Tudo sobre o Programa Minha Casa Minha Vida
5 (100%) 1 vote

Pin It on Pinterest

Shares
Compartilhe...